15 December, 2018, 05:24

Spin-off: uma nostalgia de sucesso

Quando o último episódio da nossa série preferida acaba, é aquele chororô. Fica uma dorzinha no peito, uma vontade de visitar aqueles personagens que encontraram seu destino e não viveram mais dali em diante, pelo menos no mundo fictício.

A gente fica torcendo pra que um apocalipse zumbi aconteça e nossos mortos voltem a fazer parte da nossa rotina de maratonas e, claro, os diretores das franquias, que não são bobos e nem nada, perceberam que esse sentimento saudosista podia ser muito lucrativo para eles.

E assim nasceram os spin-offs. Station 19, por exemplo, é o spin-off de Greys Anatomy; previsto para estrear em março de 2019 e Game of Thrones; que já caminha para a última temporada, poderá ser relembrada com a história do Longa Noite; que começa a ser filmado em 2019 pela HBO [informação ainda não confirmada].  

Já nas animações, o Rei Leão fez nascer Timão e Pumba e Meu Malvado Favorito nos deu os Minions de presente. Nesses casos, os personagens brilharam tanto como coadjuvantes que seria até injusto não ter um céu onde eles fossem protagonistas da própria história.    

Alguns spin-offs foram produzidos a partir de lacunas na narrativa, já outros ficaram tão saturados que conseguiram até mesmo irritar o público. Velozes e Furiosos tem tentado usar a mesma fórmula de sucesso ao longo de 8 filmes. O último, inclusive, foi considerado como “algo que extrapola na esculhambação com o realismo” pela crítica, e olha que The Fast and the Furious 9 e 10 já estão confirmados para os próximos anos.

A freira, que foi a rainha dos sustos em “Invocação do Mal 2”, também ganhou seu próprio espaço no cinema em 2018, mas acabou revelando uma certa vulnerabilidade no roteiro conforme a história avançava, por conta da repetição das dinâmicas anteriores, que causou um certo desconforto nos fãs.

Não dá pra negar que a indústria de cinema e de TV lucram muito revivendo nossas paixões, mas quando as sequências não têm outra justificativa além do resultado da bilheteria, é válido lembrar daquele velho ditado que diz que tudo que é bom precisa durar pouco pra se tornar inesquecível.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *