15 December, 2018, 05:54

Como as brincadeiras podem melhorar o aprendizado e a sociedade

A ciência é uma exploração muito séria, tal como a matemática dentro do ambiente escolar e aquela partida de vôlei ou futebol depois do trabalho ou da faculdade. Achou estranho ver todos esses elementos em uma só frase? Pois não deveria.

Os jogos e os estudos partem do mesmo princípio, pois tudo que promove liberdade mental é altamente produtivo. O mesmo prazer em acertar uma bola na rede de basquete pode ser sentido ao final de uma conta ou no início de uma descoberta laboratorial.

As pessoas costumam construir um grande abismo entre a eficácia e a brincadeira depois que se tornam adultas, quando o processo criativo deveria partir justamente da união dessas duas vertentes.

Um grande exemplo da importância do lúdico em nossas construções sociais foi dado por um matemático, filósofo, político e educador colombiano chamado Antanas Mockus, que chegou a renunciar a reitoria da Universidade Nacional da Colômbia para se tornar prefeito de Bogotá, transformando uma das cidades mais caóticas e violentas do mundo.

Mockus substituiu guardas de trânsito envolvidos em problemas de corrupção por mímicos, que organizavam as ruas e zombavam do mau comportamento dos motoristas. Segundo ele, a tática era ótima, porque naturalmente as pessoas temem mais o ridículo do que a punição. Durante o seu mandato, a taxa de homicídios fatais de trânsito caiu mais de 50%.

O brincar traz à recordação lembranças mais alegres, que são evidentes no desenvolvimento e aprendizado na primeira infância. Para cada 15 minutos de brincadeira, por exemplo, as crianças tendem a passar 5 minutos envolvidas no aprendizado das mais diversas áreas, pois o conhecimento mais importante vem da experimentação espontânea.

Doenças da vida moderna como pânico e depressão estão totalmente conectadas às consequências da escassez do nosso tempo. Justamente porque passamos 08 horas do nosso dia presos à coisas sérias demais, que nem sempre gostamos de fazer, só para que o mundo funcione perfeitamente.

Quando a gente se fecha às possibilidades e subestima a importância da interação do brincar com as responsabilidades do dia a dia,  a liberdade, o sonho e a reinvenção do que vivemos deixa de nos encantar, diminuindo drasticamente a nossa produtividade.

Você sempre poderá fazer coisas surpreendentes e, para isso, não precisa estar em Harvard, basta colocar a imaginação para funcionar e encarar a vida com os olhos da sua criança interior. Brincadeira é coisa séria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *