16 November, 2018, 18:46

Coleta Seletiva, por que devemos valorizá-la?

Em países de primeiro mundo, como os Estados Unidos por exemplo, quase todas as casas contam com containers diferentes para cada tipo de lixo. É uma belezinha. Tudo fica separado por cor e é levado pelo pessoal da coleta mais de 02x por semana.

Aqui no Brasil, ainda estamos tentando implantar esse sistema de separação, mas não tem sido nada fácil, como diria Kátia. Muita gente ainda fica confuso sobre o quem é o que na fila do lixão. Não é a toa que quase metade dos acidentes com lixeiros acontecem por conta de descarte incorreto de materiais.

No BR o sistema de coleta é realizado de maneira informal desde quando Cabral jogou o primeiro coco no chão. Catadores autônomos trabalham ativamente nessa função, enquanto alguns municípios se organizam em cooperativas para fazer a separação adequada do lixo e encaminhar tudo as empresas de reciclagem.

O Ceará é o estado brasileiro que mais recicla, de acordo com o número proporcional de habitantes. No segmento de plástico, o estado tem mais de 200 empresas atuando na reutilização dessa matéria, movimentando cerca de R$ 40 milhões por mês.

De acordo com a FIEC (Federação das Indústrias do Estado do Ceará) nosso país tem menos de 3 mil lixões em atividade, que recebem mais de 195 mil toneladas de lixo diariamente. Desse total, menos de 2% é reciclado, fazendo com que o Brasil perca R$ 8 bilhões de dinheiros, por conta do descarte inadequado.  

Os lixões a céu aberto, que deveriam ter sido extintos há muito tempo, ainda continuam sendo os maiores restaurantes brasileiros, onde a maior parte da clientela são os urubus e outros animais peçonhentos.

O governo precisa criar projetos melhores que instruam e ajudem a população a cultivar a necessidade de aproveitamento de resíduos, seja dentro de casa, seja nas comunidades ou nas indústrias, todo mundo precisa contribuir um pouco para melhorar a vida no planeta de maneira mais sustentável e menos tóxica.

Vamos seguir o ensinamento que Xuxa nos deu nos anos 90 e fazer um mundo melhor para aqueles que trabalham para um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *